O que é que o Espresso tem ?

Aprenda com a barista Sílvia Magalhães o que é preciso para não errar em um bom café espresso

Quando falamos sobre café, logo vem à mente a imagem de uma xícara fumegante e um aroma marcante, e este é motivo de grande orgulho para nós que trabalhamos com soluções para café e seus derivados. O cafezinho, há anos, foi incorporado nos cardápios de milhares de restaurantes no mundo inteiro e se tornou sinônimo de confraternização, sociabilidade e tradição, o que o torna indispensável na nossa rotina. Mas, por trás dessa bebida que conquistou o nosso paladar, há uma ciência e cuidados específicos para extrair o melhor do espresso. Por ser uma bebida mais encorpada e que oferece uma sensação palatativa única, ela tem seus truques e um preparo específico, e é justamente seu preparo um dos grandes vilões quando o assunto é padrão, qualidade e sabor. E como toda receita, é preciso seguir rigorosamente o passo a passo para que o resultado seja um sucesso e o cliente sinta-se
satisfeito.

Se em outros países essa bebida tem mais vazão, aqui ela está entrando aos poucos na casa dos brasileiros e caindo na preferência da maioria. É claro que optar ou não pelo espresso é uma questão de gosto e, consequentemente, tem tudo a ver com o paladar individual. Além disso, para quem está acostumado ao café coado, o espresso pode parecer um pouco estranho pelo seu sabor intenso e por ser mais concentrado do que outras bebidas à base de café. Por outro lado, o café em pó utilizado em coadores é diferente em termos de qualidade, se comparado ao do espresso, uma vez que este último exige uma qualidade superior em função da pequena quantidade utilizada em cada xícara.

Tudo é uma questão de buscar uma harmonização do café com outras especiarias e guloseimas para conquistar o paladar dos clientes, principalmente em relação ao público feminino que tem um paladar mais sensível ao amargo. De fato, a modernização da cafeicultura, aliada à forte exigência de qualidade do produto pelos clientes e à inovação das máquinas, torna os avanços e a diversificação dos tipos de bebidas à base de café inevitáveis, bem como os investimentos em novos blends (misturas de vários grãos).

Hoje, é possível oferecer cafés com diferentes características – seja no aroma, suavidade, cremosidade e corpo – através da utilização de cafés gourmets, por exemplo. Tecnicamente, a estrutura de um blend é formada por diferentes tipos de cafés, com sabor limpo, sem defeitos, com bom nível de doçura e acidez, além de um toque especial de notas frutadas ou florais. Ou seja, o bom café depende muito do gosto pessoal e do blend que é utilizado, e opções não faltam. Inclusive, grande parte desse sabor intenso que percebemos no espresso é responsabilidade do tipo e da qualidade do grão, por isso, uma vez moído, ele deve ser utilizado em seguida, pois sua exposição ao ar inicia o processo de oxidação e, quase que imediatamente, começa a perder o sabor

É possível reconhecermos um espresso de qualidade até mesmo antes de prová-lo, por causa do seu aroma peculiar e da formação uniforme da crema (creme formado ao final da extração do espresso). Ela é parte fundamental e indicativa do espresso de qualidade e de apresentar cor de avelã, ser consistente e espessa, com reflexos avermelhados e uma textura fina, muito além do que oferecer um efeito visual atrativo. A crema é a responsável por dar a sensação de cremosidade ao café por mais tempo, além de reter a temperatura da bebida e prolongar seu intenso aroma. Para nós, baristas, maior será a percepção do consumidor quanto à qualidade ou não do produto, pois não há espresso ruim, e sim uma bebida que não foi preparada corretamente.

Servir um café ruim é praticamente um pecado, mas com atenção aos detalhes na hora do preparado é possível apresentar uma bebida capaz de trazer à tona os aromas mais ricos do café, extraindo todas as propriedades e adequando ao gosto do consumidor. Além disso, se o espresso é um pouco forte ao seu gosto, há outras opções como o espresso americano, que é acrescido de um pouco mais de água. Aliás, o barista é um profissional que pode ajudá-lo a encontrar a bebida que mais se assemelha ao seu paladar. Há também quem prefira desfrutá-lo de forma incrementada, com diversos sabores combinados e como base para outras bebidas, a exemplo do cappuccino, do macchiato, do mocha, entre outros. Leite, chantilly, caldas, gelo, sorvete, água e até bebidas alcoólicas podem ser adicionadas ao espresso para criar novos drinks e conquistar consumidores com gostos requintados. Aproveite a hora do cafezinho para conhecer outros tipos de bebidas à base de espresso e entre nesse mundo gourmet tão fascinante.

Apesar de existir uma variedade muito grande de drinks, o que há de universal no método de preparar um bom espresso é o controle rígido e a atenção aos detalhes como grãos, torrefação, água, moagem, temperatura, assim como o tempo de infusão. Acertar no modo de preparo é fundamental e o trabalho é compensado após a degustação do que chamamos do espresso perfeito. Além de ser uma bebida rica em nutrientes e muito natural, o café traz benefícios para a saúde e é um bom motivo para encontrar amigos.

Utilizamos a expressão “café espresso” com “s” (e não expresso com “x”) por uma questão conceitual,pois refere-se ao tipo de espresso criado na Itália.
O termo é padronizado e usado no mundo todo.

Tags:

Comentários

REVISTA ESTILO FASHION

Edição 27

A Estilo Fashion é publicada semestral e contém assuntos váriados como moda, gastronomia, saúde, etc.

SAIBA MAIS

ANUNCIOS

  • Revestimentos

    H & T Cerâmica

    Veja mais sobre esse anuncio

  • Estética - Podologia

    Espaço dos Pés

    Veja mais sobre esse anuncio

  • Terapia Holística - Acupuntura

    Vilma Ferreira da Silva

    Veja mais sobre esse anuncio

  • Automoveis - Teto Solar

    B.H. Tetos Solares

    Veja mais sobre esse anuncio